Just Merveilleux?

Life at № 42

(Translation) Tradução: 40 Anos do Movimento Anti-Gay

Versão original in English: aqui.

Em 2005 a SPLC publicou um cronograma da história do movimento anti-gay nos Estados Unidos. Usando aquele trabalho como base criei uma versão alternativa, mais detalhada, internacional e atualizada que vai de 1977 a 2017. Como eu nascí na primeira metade de 1978, este cronograma foi de certa forma a trilha sonora da minha vida.

See original image

Bryant posa na frente de cartazes que dizem Salvem Nossas Crianças dos Homo Sexuais. A palavra Sexuais separada para insinuar o perigo do suposto predador sexual.

O movimento começa com uma intensa campanha na mídia em 1977 quando Anita Bryant vê uma oportunidade de reavivar a sua carreira (ela tinha sido esquecida pelo público) opondo legislação anti-discriminação no Município de Dade (Flórida.)

1978: Wichita (Kansas), Eugene (Oregon) e St. Paul (Minnesota) revogam todas as leis que protegiam gays de discriminação. (As vezes esquecemos que não fomos nós da Geração X que inventamos direitos LGBT!) Neste mesmo ano se propõe na California uma iniciativa para proibir professores gays. Tim LaHaye, um pastor Evangélico, publica um livro chamado The Unhappy Gays/Os Gays Infelizes. Neste livro (sem nenhum fundamento científico) LaHaye diz que todos os homosexuais compartilham 16 características perniciosas. Entres elas: são mentirosos, promíscuos, egoístas, não são saudáveis e morrem de forma prematura. O livro passa a ser recomendado e promovido dentro de várias comunidades Evangélicas. Dezenas de milhares de cópias são compradas, vendidas e distribuídas por igrejas.

See original image

1979: O pastor Evangélico Jerry Falwell funda um grupo chamado The Moral Majority/A Maioria Moral. Este nome projeta deliberadamente uma imagem falsa já que Evangélicos não são maioria nem dentro do próprio Cristianismo (onde só representam 13% do total.) Este tipo de engano foi usado com sucesso pelo Presidente Nixon no seu discurso sobre a suposta “Maioria Silenciosa”. O objetivo é impulsar o ouvinte a se juntar à “maioria” que supostamente apoia o discurso do orador. O primeiro estratagema de angariação de fundos do grupo é titulado Uma Declaração de Guerra a Homossexualidade/A Declaration of War on Homosexuality. Masters & Johnson dizem que podem converter homossexuais a heterossexualidade em um livro chamado Homosexuality in Perspective. Tennessee Williams é atacado por cinco jovens em Key West.

1980: Paul Cameron (mais tarde expulsado da Associação de Psicologia Americana por violações de ética e fraude) publica vários estudos pseudocientíficos que dizem que existe uma grande probabilidade que homems gays sejam assassinos, abusem de crianças e intencionalmente espalhem doenças. Estes estudos circulam pela prensa religiosa (jornais, tv e rádio.)

1981: A Maioria Moral de Falwell inicia o seu trabalho político de caráter nacional. Começam por propor legislação que removeria qualquer subvenção pública a grupos que não condenam a homosexualidade. Evangélicos fundam outro grupo chamado The Council for National Policy. Membros incluem R.J. Rushdoony (que propõe a pena de morte para homossexuais), Falwell, LaHaye, James Dobson, Tony Perkins e Phyllis Schlafly (todos religiosos). A polícia de Toronto entra em vários locais de encontros gay na cidade (principalmente saunas), prendem 286 pessoas; O caso é chamado Operation Soap/Operação Sabão.

1982: Depois de intensa pressão de grupos de lobby religiosos, o Departamento de  Defesa Americano institui uma política que diz que a homossexualidade é incompatível com o serviço militar. Mais de 17,000 soldados gay serão removidos das suas funções nos anos seguintes. Uma série de ataques homofóbicos acontece na Irlanda; Declan Flynn é espancado até a sua morte. Rick Hunter e John Hanson são insultados e espancados por policiais em Minneapolis ao sair de um bar gay.

1983: Pat Buchanan, diretor de comunicação do Presidente Reagan diz que a Aids “é a vingança de natureza contra homens gay“. A Maioria Moral de Jerry Falwell envia três mailings nacionais alertando do risco de homens gay e AIDS. Na mesma linha, uma organização chamada Christian Voice presidida por Robert G. Grant, envia cartas a comunidades religiosas em todo o território dos EUA que começam com:”Envio-lhes esta carta urgente posto que crianças do seu bairro estão em perigo por causa dos homosexuais.”

1984: Um grupo chamado The Coalition on Revival é fundado com a intenção de promover “Um Governo Cristão”, isso inclui várias políticas anti-gay. Membros incluem Tim LaHaye e o Supremacista Cristão James Kennedy da Coral Ridge Ministries (igreja que promove terapias de conversão).  A Igreja Ortodoxa declara que: “Homossexualidade deve ser tratada pela sociedade como uma perversão imoral perigosa; e pela religião como um fracasso do pecador. Em ambos os casos, deve ser corrigida. Correção consiste em enviar homossexuais a instituições psiquiátricas até que a heterosexualidade seja restabelecida.” Charlie Howard é atacado e afogado em Bangor, Maine por ter comportamentos afeminados.

1985: Falando na conferência chamada Conservative Political Action Conference, Paul Cameron (em referência a crise da AIDS) diz que a “exterminação de todos os homosexuais” talvez se torne necessária. O Pastor Evangélico John Robert Walmsley Stott publica Homosexual Partnerships? Why Same-Sex Relationships Are Not a Christian Option/Por que relacionamentos gay não são uma opção cristã. Kenneth Zeller é espancado até a sua morte no Canadá.

1986: Dick Hafer publica um comic chamado Homosexuality, Legitimate, Alternate Deathstyle/Homosexualidade, um legítimo estilo alternativo de morte. Esta é a capa:

hafer

1987: A Primeira Ministra Thatcher diz que as pessoas a quem estão dizendo que ser gay é um direito estão sendo enganadas:

1988: Eu tenho agora 10 anos de idade e passei toda a minha infância ouvindo e de certa forma absorvendo o discurso social homofóbo Americano/Inglés de forma direta e indireta – o que não vai se comparar à realidade machista e homofóbica que vivirei de forma diária ao aterrissar no Nordeste Brasileiro dos anos 90. A campanha da Oregon Citizen’s Alliance cumpre o seu objetivo de retirar as proteções contra discriminação anti-gay nas normativas de trabalho do estado do Oregon. O governo Thatcher passa a Section 28 que proíbe “promover” homosexualidade no Reino Unido.

1989: Dannemeyer publica Shadow in the Land: Homosexuality in America. Homens gays e lésbicas são rotulados os “maiores inimigos da sociedade.” Em Sydney, Australia, um grupo cristão protesta um evento LGBT na terça Feira Gorda.

1990: O treinador de futebol americano Bill McCartney funda Promise Keepers. Enche estádios promovendo a (suposta) “masculinidade tradicional.” Ele diz que existe um hierarquia social, e que pessoas que não se reproduzem não podem querer ter os mesmos direitos que pessoas que se reproduzem.

1991:  Pat Robertson funda o American Center for Law and Justice para se enfrentar a estes homosexuais que querem direitos. Ele diz que a homosexualidade é uma perversão cancerosa <sic> e lança o conceito usado aínda hoje: A HOMOSEXUALIDADE É UM ATAQUE À FAMILIA. Os Boy Scouts (escoteiros) enviam um memorandum que diz “Nós acreditamos que conduta homossexual é incompatível com as exigências do Juramento do escoteiro já que o juramento diz que o escoteiro é limpo em palavra e ação…”

1992: Ty and Jeannette Beeson da igreja chamada Antelope Valley Springs of Life fazem um video altamente editado (cut/paste) com cenas de caráter sexualizado em eventos Pride.  Mais uma vez Pat Robertson e outros Evangélicos promovem este video dizendo que demonstra comportamentos característicos de todo homem gay. Na convenção do partido republicano Pat Buchanan lança o termo culture war/guerra cultural: “Existe uma guerra de cultura agora no nosso país pela alma dos EUA.” Cem homossexuais são condenados a morte no Irã depois de que a policia invade uma festa privada gay.

1993: Presidente Clinton propõe retirar a proibição de homossexuais no exército. A igreja Coral Ridge Ministries envia uma carta pedindo doações em que diz, “Você gostaria que seus filhos, filhas, ou netos compartilhassem banheiros ou sangue com homosexuais?” No estado da Georgia Gordon Wysong diz em uma convenção religiosa, “Devemos culpar eles  (os gays) por todo problema social dos EUA.” Nicolosi publica Healing Homosexuality: Case Stories of Reparative Therapy, um livro sobre como “curar” a homosexualidade.

1994:  Quase 50 grupos fundamentalistas Cristãos liderados por Focus on the Family se reunem em Colorado para organizar como pretendem levar adiante a mensagem anti-LGBT. Decidem que vão chamar a sua campanha de Special Rights/Direitos Especiais, tendo como argumento base que direitos para pessoas LGBT não são direitos humanos, e que o que a comunidade LGBT quer são privilégios. Uma tática de manipulação desavergonhada que faz da símples não discriminação um privilégio. Um grupo chamado  Traditional Values Coalition’s  faz um video de 45 minutos chamado “Gay Rights, Special Rights,” em que argumentam que qualquer proteção a pessoas LGBT significará uma redução de direitos da população religiosa. O que de certa forma é verdade já que perderiam o direito a discriminar livremente.

1995: Scott Lively e Kevin Abrams publicam The Pink Swastika: Homosexuality in the Nazi Party (A Swastika Rosa.) Dizem que gays não foram vítimas dos Nazis, mas sim responsáveis por Nazismo e pelo Holocausto. Apesar do ser de livro ridicularizado por historiadores no mundo inteiro, muitos grupos cristãos promovem e vendem o livro nas suas igrejas.

1996: Fred Mangione, um homem gay do Texas é atacado na sua própria residência por dois neo-nazis. Ele recebe 30 facadas e morre durante o ataque. Um dos atacantes recebe uma pena suspensa de 10 anos.

1997: A revista de Testemunhas de Jeová Awake (1997 Dec 8 pp.14-15) imprime um artigo chamado Cristãos devem odiar os homosexuais?
Aparentemente a resposta é sim: “A bíblia diz: Vós, que amais o SENHOR, odiai o mal! (Salmo 97:10) Conseqüentemente, se espera que cristãos odeiem toda prática que viola as leis de Jeová. Algumas pessoas podem reagir até mesmo com sentimentos mais fortes de aversão ou repugnancia à homossexualidade que com outros tipos de imoralidade, já que a homossexualidade é uma perversão sexual antinatural…”

1998: Tenho agora 20 anos de idade. As únicas mensagems que recebí sobre a homosexualidade durante toda a minha vida foram negativas. Vivo em um estado de medo e ansiedade permanentes. Levo uma vida “normal” heterosexual, e sou profundamente infeliz. Uma coalição de grupos Evangélicos decide promover terapias de conversão apesar de não existir nenhuma evidência científica para apoiar esta prática. Senador Lott diz que ser gay é o equivalente a ser cleptomaníaco ou alcoólatra. John Lawrence e Tyrone Garner são multados por US$125 cada um depois de serem presos por praticar sexo dentro da sua própria casa. Matthew Shepard e Rita Hester são assassinados.

1999: A rede de tv ABC mostra um capítulo da serie “thirtysomething” em que dois homens coversam na cama. A rede perde 1 milhão de dólares em renda por propaganda, devido principalmente a uma campanha anti-gay. O grupo Cristão Inglés The Christian Institute publica um trabalho chamado Bankrolling Gay Proselytism, The case for extending Section 28, em que argumentam que a seção 28 deve seguir vigente. Gary Bauer diz que uniões civis entre gays são piores que o terrorismo. Um bar gay na Africa do Sul é atacado com uma bomba.

2000: A associção anti-gay NARTH imprime um trabalho pseudo-científico chamado “The Origins and Therapy of Same-Sex Attraction Disorder” (origens e terapias para tratar a desordem da atração por pessoas do mesmo sexo). California passa proposition 22. Robert Knight do Family Research Council decide voltar a promover o mito que associa pessoas LGBT ao abuso sexual de crianças. O pastor Evangélico Benny Hinn afirma ter o poder de curar homosexualidade na sua igreja (e não pensem que é grátis, ou que funciona!):

2001: Imediatamente depois dos ataques do 11 de Stembro, Falwell e Pat Robertson culpam o ataque terrorista nos homossexuais. Em Belgrado partcipantes da primeira parada do orgulho da cidade são atacados por hooligans, ultranacionalistas e religiosos. Várias pessoas sofrem feridas graves e são internadas em hospitais. O presidente da Namibia ameaça homosexuais com eliminação.

2002: O Pastor Cristão Michael Bray elogia a Arábia Saudita por decapitar três homens gays no dia do ano novo. O juiz Roy Moore do Alabama diz que “Homossexualidade é um mal, detestável e destrutivo, um estilo de vida criminoso.” Nicolosi publica um guia para prevenir a homosexualidade em crianças. O guia inclui coisas como evitar atividades artísticas

2003: Alan Sears, presidente do Alliance Defense Fund, lança o livro chamado The Homosexual Agenda; Este é o momento quando grupos religiosos criam o mito da conspiração LGBT, e do suposto lobby gay.

2004: O estado do Ohio passa uma lei chamada Defence of Marriage act. Esta lei nega qualquer reconhecimento ou direito a casais homosexuais. O senado do estado de Wisconsin vota para proibir uniões civís e casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

2005: Kansas vota para proibir uniões civís e casamentos entre pessoas do mesmo sexo. O “especialista” Aquilino Polaino é levado pelos conservadores do PP (Partido Popular) Espanhol para falar ao parlamento sobre homosexualidade. O doutor Polaino repete mitos desbancados como que gays são filhos de mães dominadoras e pais ausentes que bebem. Ele também diz que gays são incapazes de praticar esportes ou se defender. Paul Cameron publica mais um “estudo” que diz que a homosexualidade é mais perigosa que usar drogas ou fumar.

Campeão Europeu de Rugby, Gareth Thomas. Praticante de esportes e gay.

 

2006: O estado do Kentucky rescinde sua proibição em discriminação baseado em orientação sexual ou identidade de gênero. Presidente Bush renova a chamada dele para uma emenda constitucional para proibir uniões de pessoas do mesmo sexo. Colorado, Idaho, Carolina do Sul, Dakota do Sul, Tennessee, Virgínia e Wisconsin todos votam para proibir uniões gay.

2007: O Family Research Council publica “Homosexuality Is Not a Civil Right” (Homosexualidade não é um direito civil). Promovem também terapia de conversão pseudo-científica. Também compara homossexualidade com pedofilia. A igreja mórmon publica um papel que sugere que as pessoas LGBT deveriam se casar heterossexualmente. O grupo NOM é fundado para combater direitos LGBT na Califórnia. Os líderes do grupo se pagam salários entre 100 e 350 mil dólares por ano. Na Austrália Craig Gee é atacado por quatro homens por caminhar dando a mão ao namorado. Parte do crânio dele foi reduzidaa pó, e a perna foi quebrada durante o ataque.

2008: Depois de uma violenta campanha anti-gay, a lei proposition 8 é passada na California. Paul Cameron viaja a Russia para promover homofobía, preparando o terreno para as leis homofobas que virão nos próximos anos. Duanna Johnson é espancada por policias em Memphis, TN. Segundo testemunhas a policia insultou Duanna durante o ataque usando terminologia anti-trans.

2009: Uma proposta para criminalizar homossexualidade é apresentada no Burundi. A proposta Mate os Gays  (Kill the Gays) é apresentada em Uganda depois que pastores evangélicos americanos patrocinam e participam de conferências anti-lgbt no país. O Family Research Institute publica mais um estudo pseudo-científico chamado Child Molestation and Homosexuality que diz que pessoas gays são responsáveis por mais de 1/3 de todos os abusos sexuais.

2010: Primeiro-Ministro Odinga do Kenya diz que o comportamento de gayss é “antinatural” e que pessoas lgbt deveriam ser presas. O FRC publica The Top 10 Myths About Homosexuality (10 maiores mitos sobre a homosexualidade). Defendem uma vez mais terapia de conversão e dizem que homosexualidade faz mal ao corpo humano.

2011: O estado de Wyoming passa uma lei proibindo o reconhecimento de uniões entre pessoas do mesmo sexo efetuados em outros estados. O prefeito de House of Representatives passes a bill to bar the state from recognising legal same-sex marriages performed in other legal jurisdictions. O prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, proíbe a parada gay. O senado do estado do Tennessee passa a Bill 49, conhecida como a lei “Não diga gay”; o estado também revoca suas proteções de anti-discriminação de pessoas LGBT. Uma epidemia de suicidios de adolescentes LGBT occurre no distrito da política anti-gay Michele Bachmann.

2012: A Carolina do Norte vota para proibir matrimônio entre pessoas do mesmo sexo e qualquer união legal doméstica. Um grupo cristão põe anúncios nos ônibus de Londres dizendo que a homosexualidade pode ser cuarada. O Pastor Charles Worley diz “pessoas LGBT deveriam ser presas e como não reproduzem todos chegaria o ponto em que já não existiria mais nenhum.” A assembleia de São Petersburgo na Rússia passa uma lei anti-gay que proíbe falar da homosexualidade de forma positiva, com multas de até 17 mil dólares para infratores. Um grupo chamado Manif pour Tous, financiado por grupos religiosos é lançado na França para se opor a direitos da comunidade LGBT. O ator (cristão) Kirk Cameron diz em uma entrevista na CNN que a homosexualidade não é natural:

2013: O parlamento Nigeriano aprova uma lei que proibe matrimônio do mesmo sexo. Na Rússia, Presidente Vladimir Putin assina uma lei que proibe “propaganda de relações sexuais não tradicionais”, a lei foi passada por unanimidade na Duma. O Tribunal Supremo da Índia restabelece seção 377 do código penal, ilegalizando uma vez mais atos homosexuais. O parlamentar francês Philippe Cochet diz que uma lei de matrimônio gay é o equivalente a assassinar crianças. Uma associção LGBT é vandalisada e os responsáveis colocam o video online orgulhosos do que fizeram. Um homem gay sofre um ataque homofóbo em Paris. Antes e depois:

See original image

2014: A Nigéria ilegaliza qualquer exibição pública de relações do mesmo sexo (dar a mão, um beijo etc.) e também pertencer a grupos de direitos LGBT. “Todos que registrem, operem ou participem de clubes, sociedades ou organizações LGBT ou que façam público diretamente ou indiretamente uma exibição de afeto entre pessoas do mesmo sexo poderá ser castigado com até 10 anos em prisão.” O presidente do Uganda assina a lei anti-gay. 25 grupos religiosos da Jamaica se juntam para lutar contra qualquer lei que defenda direitos de pessoas LGBT. A mídia Jamaicana promove homofobía regularmente.

2015: A Rússia quer ampliar legislação anti-gay. O candidato presidencial Ben Carson diz que ser gay é uma escolha e que basta ver como pessoas na prisão são gay, e depois deixam de ser para entender que é uma escolha. Scott Lively diz que a homosexualidade é pior que o genocídio.

2016: “O número de homicídios de pessoas gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais deve crescer em 2016 e superar as ocorrências dos últimos anos. A tendência é revelada pelo Grupo Gay da Bahia,  que anualmente elabora o Relatório de Assassinatos LGBT no Brasil. Dados preliminares do levantamento apontam que o ano deve ser fechado com o total aproximado de 340 mortes, maior número registrado nos últimos anos.”

mais informação aqui.

 

2017: Com leis protegendo pessoas LGBT na maioria dos países desenvolvidos do ocidente, o campo de batalha passa a ser os países em desenvolvimento, como o Brasil. Em breve veremos todos os métodos e táticas mencionados acima postos em ação. Eles usarão pseudo-ciência, eles publicarão livros – mas mais que tudo isso eles vão fabricar controversias e perigos (artificiais). Vão denegrir e demonizar a comunidade LGBT por quê é assim que eles arrecadam dinheiro. É assim que eles criam as redes de corrupção intelectual e financeira que os mantém no poder. Os casos recentes relativos a exposições de arte são exatamente isso. Um engano, uma fraude. E apesar de que o impulso parece ser religião, por trás está a fome de poder e dinheiro. 

Advertisements

25 comments on “(Translation) Tradução: 40 Anos do Movimento Anti-Gay

  1. Scottie
    September 17, 2017

    I like this because of the work you have done to present it, not the hate of those shown. I was a gay teen in high school when Anita Bryant got really going with her slurs and slams against homosexuality. In the small town I was in and those around mine, it was all the bigots needed to hear to know it was true and gays deserved death. There was nothing bad enough that couldn’t be hung on gay people. Even local officials believed this way. I remember being sick at my core over it, hearing it in the home I grew up. And these were bastards who were not religious. Just uneducated thugs who bought right into her and those who followed her example. TO this day I have extreme reactions to her, her name and the ideas she promoted so forcefully. Hugs

    Liked by 1 person

    • Scottie
      September 17, 2017

      Sorry I got upset and did not proofread. it should read “it was all the bigots needed to hear and they believed I needed to hear it” sorry Hugs

      Like

    • The Pink Agendist
      September 17, 2017

      Thanks, Scottie. It’s strangely personal for me because it’s sort of the background to my whole existence. A sort of horrible thought, but there we go, many of us survived!

      Liked by 1 person

      • Scottie
        September 17, 2017

        I made a resolution way back then , I would be the person I wanted to be , not the person they wanted to make me. I turned out pretty good that way. Hugs

        Liked by 3 people

      • The Pink Agendist
        September 17, 2017

        That’s a healthy approach!

        Liked by 1 person

  2. foolsmusings
    September 17, 2017

    I wish I was smart enough to read it. 😔

    Liked by 2 people

  3. Helen Devries
    September 17, 2017

    Eye opening.
    Growing up in a household where homosexuality was referred to only in the context of how the establishment brought down Oscar Wilde and the amazing immunity from prosecution of Tom Driberg I was completely unaware of the activities of those you present in this article.

    Liked by 1 person

    • The Pink Agendist
      September 17, 2017

      Appalling, isn’t it? People make money off of the most terrible things. Most of the religious people mentioned in the post make salaries in the six figures, some in the high six figures. All for selling homophobia.

      Liked by 2 people

      • Helen Devries
        September 17, 2017

        Religion, custom…cloaks for some very nasty activities and, as you say, very profitable to their propounders.

        Liked by 3 people

  4. Ali
    September 17, 2017

    I read every word of the translation….I feel so sick.
    Everyone needs to read these words…..

    Ali

    Liked by 2 people

    • The Pink Agendist
      September 17, 2017

      Just horrendous. Now imagine the effect of that on a person’s life. Living in the knowledge that if not next week, surely soon, another attack is coming.

      Liked by 1 person

  5. The Whitechapel Whelk
    September 18, 2017

    Having spent time working in Lisbon, I have just brushed up my fast-diminishing grasp of Portuguese. So, thanks very much! 😀

    Liked by 1 person

    • The Pink Agendist
      September 18, 2017

      Having not spoken or written in it for 18 years, mine needs serious brushing up as well.

      Like

  6. Steve Ruis
    September 18, 2017

    I didn’t get the English version and I didn’t like it. I suspect I would like the English version less. Why is it that religious people have bought into hate so easily, especially those who have subscribed to “love your neighbor” as a primary statement of faith?

    Liked by 2 people

    • The Pink Agendist
      September 19, 2017

      As I see it, it’s pure commerce. A transactional form of hate. That’s what I think is also really behind racism.

      Like

  7. theoccasionalman
    September 18, 2017

    Wishing there was a Sad button. 😦 Looking back at all this is overwhelming for me — I can’t make it all the way through in one read.

    Portuguese is the language in which I first learned to talk about my feelings, so things written in it feel so much more personal to me, and on this topic, it’s devastating.

    Liked by 2 people

  8. This is really good work. Must have been hard to do that research. Consider making a small change in 1996, Romer v Evans. It was not just a simple law that the Supreme Court struck down, the citizens of Colorado had actually amended their State Constitution, it was only the second time the citizens had amended their State Constitution.

    Following through on this same vein I think it would be impressive to add in under the year groupings how many US States passed Constitutional Amendments to ban Civil Marriage for Sexual Minorities. I can look that up for you if you want.

    For 1996 you might add lesbian Mary Ward from Florida. Her ex-husband murdered his first wife and served prison time and when he got out he applied for custody of their daughter. A Florida State judge ruled in the ex-husbands favor, that the daughter would be better off with her father, and in 1996 a Florida Federal Appeals Court upheld the ruling and Mary lost custody of her daughter.

    The most significant Supreme Court case that allowed so many of these hate laws was 1986 Bowers v Hardwick. The Supreme Court ruled that the Georgia criminal sodomy and oral sex law was legal. This is why it was perfectly legal for the police to arrest Mr Lawrence & Mr Garner in Texas for having consensual sex in their home.

    So as you read about all these various Christian groups and the hatred they were fomenting keep in mind Bowers, they had the LAW on their side. Bowers v Hardwick was a really important US Supreme Court case.

    Justice Kennedy who has been the author of every gay rights ruling said once, and I’ll paraphrase, “The law can be a teacher.” In other words if the law says something is illegal or criminal most people generally accept that that thing which the law is about, is a bad thing, or else there wouldn’t be a law against it. If it is a criminal offense that is prima facie evidence that what you are doing is bad.

    A very good website I used to read daily until he stopped blogging is Box Turtle Bulletin. He had a section “This Day In History.” If you are done with this project I won’t send you anything from there, but if you are open to some editing I will. His This Day In History stuff was really good, highly educational for me.

    I’m older obviously and I never even paid attention to gay oppression, I was completely unaware, I was not a supporter of anti gay hatred but I really didn’t know anything about it either. I only started paying attention in 2010, I read an on line news article from Newsweek about the Prop 8 Trial in California, I never even knew about the Prop 8 Constitutional Amendment passing in the same election Obama was elected it, I’m not from California. I read that news article about this Prop 8 trial and I am always interested in laws and trials, so I started researching on line, in my researching I came across gay blogs and websites. The more I researched and learned the madder I got, this was outrageous how gay ppl were being treated. Since that first Newsweek article in January 2010 I have followed gay rights daily.

    Liked by 2 people

    • The Pink Agendist
      September 25, 2017

      Hi! And THANKS!!! I’m completely open to adding to it. I really want to paint a picture of how much effort and energy they put into the the anti-gay machinery.

      Liked by 1 person

  9. ok I’ll be in touch. The thing is, the way it happened is that right wing Christians used Gay Hatred as a *political* weapon, they moved from preaching about ppl who are gay in their churches to using anti gay hatred as a political issue to move outside their churches and gain even more power. All of your examples are protestant examples however the Catholic Church was equally aggressive.

    I’ll never ever forget that Catholic Bishop in Illinois who held an exorcism, a literal EXORCISM when Illinois passed Civil Marriage for Sexual Minorities. In Minnesota the Cardinal got a big donation, I “think” it was the owner of Pappa John’s Pizza but I’ll have to check, and they created a CD and mailed it to every single registered Catholic in the State opposing Civil Marriage for Sexual Minorities when that was up for a public vote in Minnesota.

    The Mary Ward case in Florida is the one that puts daggers in my heart. That persecution, with the force of LAW persecution, really affects me. I’m a mother and the idea that not one but at least 4 Judges would rule that simply being a lesbian was far worse and more harmful to a child than a convicted murderer fills me with rage. It really does.

    I forget the name, and I can look that up, is the true story about two gay men who had protected themselves from their families and had created Wills, leaving their estates to their partners. However the lawyer forgot to include one important clause in the Will, he forgot to add that when one of them dies the other partner has possession of the body. When one of the men died, the deceased family swooped in and legally took possession of the dead body and held a funeral and buried the gay man and refused to tell the partner where the funeral was, bared him from attending and importantly the widower does not know to THIS DAY where his partner is buried, the family will not tell him. This is a classic example of why Civil Marriage is so important, in law the surviving spouse, in law without having to go to a lawyer, has legal possession of the body.

    Another one is the Press Secretary of President Ronald Regan responding for the first time to a question posed by the press about this disease that was affecting gay men, that thousands were dying. The Press Secretary laughed at the question, laughed. That also is an excellent video clip. I was a mature adult during the AIDS epidemic and I didn’t pay attention. It didn’t affect me and pre-internet days I really didn’t understand how bad it was, the press didn’t cover it extensively for quite a while into the plague. The first time I really became aware of it was during the Ryan White drama. And I remember having young children and thinking about the issue, should a child with AIDS attend school with my children, in my mind I said no, to much risk to the other children, to MY children. It was a very difficult moral dilemma for me and I remember thinking hard about it because I didn’t just think of my children I thought hard about Ryan White also. I felt sorry for the boy, I did, I really did. In the Ryan White instance I was susceptible to to the fear mongering the other side put out. They made me fear having children with AIDS in schools. The fear mongering worked.

    Powerful forces are aligned against you Pink, I think of all the brave brave brave men and women who fought back, and really DID help change the culture. The culture has changed for the better, we are not where we need to be but I think now finally after a couple millenniums we are headed in the right direction.

    Another story that stays with me is the “Sissy Boy Experiments,” Box Turtle did a series on that and I do think he should have won a Pulitzer Prize for it.

    Liked by 1 person

  10. I went to Box Turtle & pulled up his Today In History posts
    http://www.boxturtlebulletin.com/?s=Today+In+History

    Like

  11. vincentamaral75
    September 28, 2017

    Gostaria de poder dizer que a ignorância e medo são os maiores responsáveis em envenenar as pessoas e provocar todo essa insanidade. Mas lendo esse resumo tão bem relatado da campanha anti-gay fica claro para quem quer ver o quanto muitos são movidos por controle e ódio sem sequer permitirem a si mesmo uma pausa para refletirem em seus atos desumanos.

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on September 17, 2017 by in activism and tagged , , , , , .
%d bloggers like this: